O que o CMCBr faz para acolher à mulher em
situação de exclusão social e violência

Disponibiliza equipe técnica composta por profissionais voluntários qualificados, para o atendimento preventivo à violência doméstica contra à mulher

A equipe de voluntários deve pautar-se pela ética, preservando o sigilo e garantindo a segurança das informações. O profissional deve desenvolver uma atitude compreensiva, evitando o julgamento e a crítica. Deve também respeitar o tempo e a decisão da mulher.

Que tipo de ajuda deve ser prestada à mulher

A equipe está preparada para dar o primeiro atendimento à mulher em situação de violência doméstica, priorizando sempre a sua segurança e o seu acolhimento, orientando-a sobre os seus direitos constitucionais. Havendo violência física adotar o procedimento padrão.

Havendo violência contra à mulher, o pedido de ajuda deve ser atendido observando alguns protocolos e procedimentos técnicos

  • Atender, acolher e escutar a mulher que está em situação de violência;
  • Informá-la sobre os seus direitos constitucionais;
  • Informá-la como proteger-se com a aplicação da Lei Maria da Penha;
  • Encaminhá-la para atendimento psicológico, quando for o caso;
  • Encaminhá-la para a Diretoria Jurídica do CMCBr, quando for o caso;
  • Encaminhá-la para a DEAM, ou para outras delegacias que dê apoio à mulher;
  • Se a violência for cometida no Distrito Federal, encaminhá-la para a DEAM ou para a Casa da Mulher Brasileira;
  • Dependendo da gravidade das agressões, encaminhá-la para um hospital, ou posto de saúde mais próximo de sua residência;
  • Agendar atendimento psicológico, quando for o caso;
  • Acompanhar a mulher em todas as fases do atendimento;
  • Encaminhá-la para as oficinas de autoestima, com ministração de palestras preventivas.

O que o CMCBr faz para empoderar à mulher através da qualificação profissional e do empreendedorismo

Promove a qualificação profissional da mulher:

  • Promove a equidade de gênero em todas as atividades sociais para o efetivo fortalecimento econômico, impulsionando à mulher para o mundo dos negócios;
  • Realiza cursos de qualificação e gestão profissional em diversas áreas, com o propósito de inserir a mulher no mercado empresarial, a fim de gerar renda para a sua subsistência, melhorar a sua qualidade de vida e de sua família;
  • O CMCBr facilita o ingresso da mulher no mundo do empreendedorismo, auxiliando a tomada de decisão, atualmente a economia nacional oferece diversas opções para abrir um negócio, são variadas as áreas para empreender como: sistema de auto-gestão, varejo, indústria, turismo, hotelaria, educação, inovação tecnológica entre muitos outros;
  • A Diretoria de Mobilização realiza levantamento junto as empresas locais e junto à comunidade, com o objetivo de verificar a vocação comercial e industrial da cidade, a fim de ministrar cursos de qualificação profissional de acordo com as necessidades de absorção da mão-de-obra pelas empresas da comunidade;
  • Efetua levantamento junto as empresas do comércio local, informação sobre vagas existentes para a contratação de funcionárias;
  • Informa a comunidade sobre as oportunidades de empregos e negócios existentes nas empresas locais;
  • Instrui à mulher a exercer liderança corporativa no mais alto nível;
  • Apoia o empreendedorismo da mulher, por meio de estratégias de mercado com o auxílio da Diretoria de Negócios e Empreendedorismo;
  • Divulga o progresso da empresa, que promove a igualdade de gênero para o desenvolvimento da economia;
  • Trabalha para viabilizar o microcrédito para as associadas do CMCBr;
  • O CMCBr incentiva a mulher a estudar, e forma-se em cursos técnicos profissionalizantes, ou em cursos superiores, forma de adquirir conhecimento técnico, acadêmico e intelectual, sendo uma maneira inteligente de empoderar à mulher;
  • Incentiva a mulher ler livros sobre poesias, romances e sobre outros temas como: política, cultura, esporte, sociologia entre outros temas não menos relevantes.

Assim, o empoderamento feminino exerce papel social relevante, com o propósito de desenvolver a economia nacional, melhorar a qualidade de vida da mulher e de sua família.

Ser empreendedora é ser inovadora, enxergar novas oportunidades de negócios, tanto empresarial quanto social. Ao empoderar à mulher promove-se a igualdade de gênero, garantindo que todos tenham as mesmas oportunidades na carreira e no mundo do empreendedorismo.