Mais Sobre o CMCBr

EM QUE LOCAL DEVE FUNCIONAR O CMCBr?

O Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil deve funcionar em local adequado as suas atividades

A Instituição deve funcionar em locais adequados as suas atividades, em sede própria, alugada ou cedida. Também poderá funcionar utilizando a infra-estrutura de instituições parceiras conveniadas, com o propósito de realizar suas ações sociais mais próximas das comunidades-alvo.

POR QUE DEVO PORTAR A CARTEIRA SOCIAL?

A Carteira Social é o documento de identificação das conselheiras e membras

  • A carteira social é o documento de identificação pela qual as conselheiras, membras e voluntárias são identificadas como associadas do CMCBr. Além de usufruir os benefícios de diversos convênios com parceiros comerciais. O objetivo é oferecer um programa de “descontos e vantagens” as nossas associadas;
  • A Carteira Social será emitida pela Executiva Nacional, por solicitação da conselheira, membra ou voluntária e será cobrada uma taxa para cobrir os custos com a emissão.
ONDE E COMO ATUA O CMCBr?

Atua junto as comunidades acolhendo e empoderando mulheres em situação de violência

O Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil atua junto as comunidades mais vulneráveis nos Estados, Municípios e Regiões Administrativas do Distrito Federal.

A instituição conta com o auxílio de pessoas físicas voluntárias, a fim de realizar ações sociais atendendo as demandas das comunidades carentes. Conta ainda, com o apoio financeiro de instituições privadas parceiras, que auxiliam no desenvolvimento e execução dos projetos.
E para consolidar os seus objetivos estatutários, a instituição desenvolve programas e projetos, com o propósito de empoderar a mulher que precisa gerar renda, a fim de melhorar a sua qualidade de vida e de sua família.

O trabalho é a emancipação feminina, é o elemento que impulsiona a mulher ao ingresso no mercado de trabalho, enquanto a luta pela sobrevivência é, na maioria das vezes, o elemento motivador da mulher das camadas mais pobres.

Portanto, são muitos os fatores de risco, assim como os fatores de proteção que constituem a vida. Pensando desta forma, há que se qualificar as possibilidades de sobrevivência com dignidade da mulher e sua família.

QUAIS SÃO AS AÇÕES E EVENTOS REALIZADOS PELO CMCBr?

Ações e eventos realizados pelo CMCBr

  • Ações sociais;
  • Cursos;
  • Palestras;
  • Oficinas;
  • Treinamentos;
  • Seminários;
  • Conferências;
  • Campanhas;
  • Concessão de Prêmios;
  • Convenção;
  • Passeatas;
  • Carreatas;
  • Atos Públicos;

A participação e apoio a outras ações e eventos realizados por terceiros, deverão ser autorizados pela Diretoria Nacional ou Executiva Nacional.

As ações e eventos sociais realizados pelos Conselhos e Coordenações filiados, deverão ser informados obrigatoriamente ao CMCBr - NACIONAL.

As orientações tem o caráter de facilitar a confecção da Agenda Anual Nacional do CMCBr e, consequentemente orientar a participação das conselheiras da Diretoria Nacional ou da Executiva Nacional, a participarem das ações e eventos realizados pelos Conselhos e Coordenações filiados.

COMO TORNAR-ME UM(A) VOLUNTÁRIO(A)?

Qualquer pessoa física pode tornar-se um voluntário

O voluntário como ator social e agente de transformação, que presta serviços não remunerados em benefício da comunidade; doando seu tempo e conhecimentos, realiza um trabalho gerado pela energia de seu impulso solidário, atendendo tanto às necessidades do próximo ou aos imperativos de uma causa, como às suas próprias motivações pessoais, sejam estas de caráter religioso, cultural, filosófico, político e emocional.

Qualquer pessoa física pode realizar ações sociais individuais. Por exemplo: profissionais liberais como: médicos, enfermeiros, advogados, psicólogos, assistentes sociais, designer de website, secretária, diagramador entre outras profissões que queiram atender uma Instituição social. Também pode participar de campanhas pelo voto consciente, pela paz e pela vida, contra a violência doméstica, em favor da doação de sangue, coleta de livros, brinquedos, alimentos e roupas.
Além de poder integrar-se a grupos de trabalho voluntário, a fim de realizar serviços comunitários, apoiando escolas públicas, associações de moradores e Instituições que ofereçam inúmeras oportunidades em áreas como: saúde, assistência social, educação, cidadania, cultura, esporte e meio ambiente.

O voluntário pode participar de projetos e programas públicos, junto a prefeituras, secretarias municipais e estaduais, fazendo sua adesão sem receber nenhum tipo de remuneração.

Mulheres multiplicadoras de talentos

As voluntárias do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil devem desenvolver ações sociais planejadas e continuadas, encorajando a multiplicação de talentos em uma sucessão de mulheres. Ao final, o objetivo é que outras mulheres, também possam contribuir com seu tempo e conhecimento, com o propósito de efetuar transformações sociais nas comunidades onde atuam.
O trabalho voluntário não é remunerado, as ações sociais e as atividades realizadas tem como alcance, o acolhimento da mulher economicamente e socialmente vulnerável, elevando os valores de participação e de solidariedade.

A força do trabalho voluntário

As voluntárias(os) devem atuar junto as comunidades carentes em parceria com pessoas físicas, profissionais liberais, Instituições privadas ou públicas, promovendo diversas ações sociais, assistindo os que necessitam de cursos, palestras e treinamento.
Além disso, devem oferecer outros tipos de atendimentos como: psicológico, jurídico, prevenção da saúde, beleza, empreendedorismo, cooperativismo, qualificação profissional entre outras ações e projetos sociais.

Como tornar-se um voluntária(o)

Para se tornar voluntária(o), é necessário participar do curso de “Mulheres Multiplicadoras de Talentos”. Os homens também podem fazer um curso específico. E para fazerem os cursos, é necessário que ambos assinem o formulário de “Termo de Adesão” ao Voluntariado do CMCBr conforme lei vigente.

Quando estarei apta(o)

1ª Passo - Participar do curso “Mulheres Multiplicadoras de Talentos”, que formará as futuras voluntárias, parceiras e colaboradoras do CMCBr. O treinamento tem como objetivo apresentar como é realizado o trabalho voluntário junto as comunidades carentes. Assim a candidata ao serviço voluntário tomará conhecimento das ações e projetos desenvolvidos e realizados pelo CMCBr. O curso de formação têm carga horária de 02 horas, após a sua conclusão cumpridos os critérios exigidos, será fornecido Certificado de Formação, estando apta a voluntária a prestar os serviços e ações sociais promovidas pela Instituição junto à comunidade;
2ª Passo - Compreender como é o funcionamento hierárquico e quais as atividades de cada voluntária, assinando o “Termo de Adesão” para exercer suas atividades;
3ª Passo – Saber como será a sua atuação nas estruturas dos Conselhos e Coordenações filiadas;
4ª Passo – Receber treinamento específico no programa ou projeto a ser promovido e realizado pelo CMCBr;
5ª Passo – Estando apta dar início aos serviços e/ou as atividades voluntárias junto à Instituições ou a comunidade indicada pelo CMCBr.

COMO DEVE SER O PERFIL DE UMA DIRIGENTE DO CMCBr?

Estabelecer novas relações com vistas a consolidar o trabalho voluntário

O perfil de uma dirigente vem adquirindo importância cada vez mais reconhecida no contexto da gestão organizacional do terceiro setor, a partir das demandas pelo conhecimento e inovação constantes. As atuais demandas requerem uma gestora com habilidades e capacidades abrangentes e complexas para operar as novas tecnologias e estabelecer novas relações sociais com vistas a consolidação do trabalho voluntário. Requer, portanto, gestoras que transformem, cotidianamente, conhecimento em competência social.
Além do conhecimento, saber interagir, estabelecer diálogo, desenvolver relacionamentos e alcançar bons resultados. Tem que estar disponível para aprender, acrescentar conhecimento ao outro, ser flexível e saber comunicar- se.

Estar convicta de sua missão e ter espírito de liderança e empreendedorismo

Ter espírito de liderança, empreendedorismo. Estar convicta de sua missão pessoal. Ter qualidades, carisma, bom senso e equilíbrio. Ter visão do futuro e saber o que quer e para onde deseja ir e por que quer ir.
Possuir discernimento, condição que exige dedicação, determinação, conhecimento e muito empenho. Fundamentado na preparação que é imprescindível para qualquer pessoa exercer função de comando. Essas condições incluem interação, desenvolvimento, espírito comunitário e reconhecimento da liberdade do outro.
Para qualquer gestor, a competência é essencial, envolve conhecimento e informação, valores éticos, planejamento, trabalho, relacionamento, interação e liderança.

Gestoras que pensam de forma global e criativa com soluções inovadoras

As organizações, de forma cada vez mais acentuada e emergente, precisam de pessoas que conheçam o processo como um todo, que pensem de forma global e criativa, e que saibam encontrar alternativas e soluções inovadoras para os problemas.
Estas exigências e competências também são requeridas nas organizações sem fins lucrativos, bem como de seus dirigentes, na medida em que se passa a “cobrar” das mesmas, princípios gerenciais mais efetivos, e que se constituam como questão central.
Esse fato permite inferir que os dirigentes sejam pessoas vividas, com um apreciável nível de amadurecimento, incluindo uma certa estabilidade na vida pessoal.

OUTRAS INSTITUIÇÕES APOIAM O TRABALHO SOCIAL DO CMCBr?

As ações sociais da instituição encontram apoio nas comunidades-alvo e nos parceiros sociais

O Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil encontra apoio para realizar suas ações e projetos em diferentes estamentos sociais, beneficiando-se do suporte de profissionais liberais, empresas privadas, faculdades, Igrejas de diferentes denominações religiosas, e principalmente ancorado no trabalho voluntário de pessoas físicas.
As ações sociais são desenvolvidas alicerçadas exclusivamente no auxílio e apoio da comunidade-alvo, que necessita receber os serviços prestados como: psicológicos, ambulatoriais, jurídicos, beleza da mulher e palestras informativas sobre proteção e direitos constitucionais.

As ações realizadas tem credibilidade porque o viés de interiorização da Instituição é social com a efetivação do seu capital social, tendo como propósito acolher e proteger a mulher e sua família

A instituição tem a responsabilidade de instruir a mulher sobre seus direitos e garantias constitucionais, de maneira que possam ser aplicados na prática cotidiana

COMO FAZER A CAPTAÇÃO DE RECURSOS?

A instituição deverá balancear a sua forma de captação de recursos

O CMCBr pode levantar fundos de duas formas. A primeira forma é pela taxa de entrega de serviços ou pela criação de parcerias comerciais elaboradas para gerar fluxo de renda. E a segunda forma de manter os seus custos é através de doações.
A Instituição deverá balancear a sua forma de captação de recursos incluindo geração de renda própria. Diversificando poderá alcançar todos os públicos. Cada público pode trazer um benefício específico, deve ser avaliado antes da Instituição buscá-lo como parceiro para realizar sua missão.

Segundo pesquisas as doações privadas são oriundas de pessoas físicas

Segundo pesquisas 81% das doações privadas são oriundas de pessoas físicas, com média de doações de R$ 158,00 por ano, e outros 29% doam materiais. Os números demostram a importância das contribuições das pessoas físicas, necessitando desenvolver estratégias para a captação de recursos direcionadas para as pessoas da comunidade. Pessoas que se identificam com as ações e projetos da Instituição doam mesmo que as contribuições sejam pequenas.
Em um primeiro momento, parece que investir esforços para captar recursos financeiros junto a doadores individuais não valerá a pena, ou seja, investir na confecção de flyers, informativos, telefonemas, boletos ou brindes, acaba sendo muito caro. Todo processo de captação tem o seu tempo de maturação. Uma Instituição que realiza um trabalho sério e a comunidade apoia, tem legitimidade para angariar recursos financeiros fidelizando novos contribuintes.

A captação de recursos faz-se com projetos baseados em clareza e detalhamento

A parceria com Instituições privadas é uma forma de captação de recursos. A proposta de parceria deve estar baseada na clareza e no detalhamento do projeto proposto. Empresas privadas apoiam projetos em troca de divulgação do seu nome, produtos e serviços. O CMCBr desenvolveu um programa de “Descontos & Vantagens”, com a fidelização de consumidores da própria comunidade.
Outra forma de captar recursos é através de fundações nacionais ou internacionais, agências internacionais que apoiam ações e atividades filantrópicas. O processo para solicitar apoio para o projeto é padrão, e pode ser através do site da instituição. A solicitação também poderá ser realizada por carta ou por telefone. Normalmente as fundações buscam resultados próximos a políticas públicas e não será necessário a divulgação do seu nome e nem de seus produtos e serviços.

A captação poderá ser feita através de convênios, contratos e licitação pública

A captação de recursos também poderá ser realizada, através de convênios, licitação pública, contratos e chamada pública, com órgãos públicos para a prestação de serviços, que é uma forma de terceirização de uma obrigação, remunerando a Instituição por determinada atividade.
Outra forma de captar recursos é promover eventos, que poderão ter várias funções, divulgar a causa, captar recursos, divulgar a missão, as ações sociais e os projetos da Instituição. Aderir novos doadores e voluntários. E para ter o foco centrado na captação de recursos, será necessário a venda de convites.

TENHO QUE CONTRIBUIR COM MENSALIDADES?

As mensalidades são para cobrir as despesas administrativas da Instituição

É atribuição dos Conselhos e Coordenações filiados, instituir mensalidade e contribuições, a fim de custear as despesas administrativas da instituição. O valor a ser a cobrado de cada associada, deverá ser decidido em reunião pela Diretoria de cada Conselho ou Coordenação.

Constituem receita do CMCBr, as mensalidades, contribuições, patrocínios ou legados, doados pelas membras, voluntárias(os), parceiras (os) e colaboradoras (es), bem como as doações e os legados provenientes de pessoas físicas ou jurídicas, de natureza pública ou privada.

Toda as receitas arrecadadas pelos Conselhos e Coordenações filiados, sendo de qualquer natureza, após o seu recebimento, não serão mais devolvidas, uma vez que, são efetuadas voluntariamente

As receitas do CMCBr são empregadas em seus objetivos estatutários

As receitas do CMCBr são empregadas em seus objetivos estatutários, e em suas despesas correntes, ou em ações sociais e projetos devidamente aprovados pela Diretoria Nacional, submetidos à aprovação das contas pelo Conselho Fiscal no final de cada ano/exercício.

QUAIS SÃO OS REQUISITOS OBRIGATÓRIOS PARA TORNAR-SE UM CONSELHO AFILIADO?

Os interessados em obter autorização de uso das Marcas deverão cumprir alguns requisitos obrigatórios

As Instiutições deverão demonstrar junto ao CMCBr NACIONAL cumprimento dos seguintes requisitos obrigatórios:

01- Apresentar situação regularizada perante o CMCBr NACIONAL;

02- Possuir situação contributiva regularizada perante a Receita Federal do Brasil;

03- Possuir situação contributiva regularizada perante a Receita Estadual;

04- Possuir situação contributiva regularizada perante a Justiça do Trabalho;

05- Cumprir as exigências legais necessárias ao exercício da respectiva atividade, ou ter instruído
adequadamente o processo de licenciamento junto às entidades competentes;

06- Possuir contabilidade organizada, de acordo com o Sistema de Normatização Contábil, ou outra regulamentação aplicável ao setor;

07- A Instituição candidata deverá comprovar situação económico financeira equilibrada, traduzida em Resultados Líquidos positivos em pelo menos dois dos últimos três anos, e/ou, Autonomia Financeira superior ou igual a 1%;

08- Identificar uma pessoa da Instituição responsável pela interlocução junto ao CMCBr NACIONAL, que assegure o cumprimento dos requisitos de utilização da Marca e que garanta a sua adequada promoção, de acordo com o Manual de Utilização da Marca;

09- A Instituição afiliada e/ou aderente, deve contribuir mensalmente com 19% de sua receita bruta, quando for o caso, a título de remuneração ao CMCBr NACIONAL pela utilização das Marcas e demais benefícios colocados a sua disposição.

QUAIS SÃO OS OBJETIVOS DO CMCBr?

Assegurar os direitos individuais e coletivos da mulher

O objetivo do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil é consolidar a utilização dos instrumentos jurídicos existentes nas leis e na Constituição Federal em favor da mulher.

Difundir a informação sobre a legislação responsável por regular as relações institucionais, os processos sociais e políticos, assegurando os direitos individuais e coletivos da mulher.

Contudo, compreender que só a legislação, não é o suficiente para mudar o cenário de desigualdade e discriminação da mulher, mas constituir um marco inicial, a fim de estabelecer estratégias políticas de enfrentamento e superação das desigualdades de gênero, por meio da concretização desses direitos.

O objetivo é que homens e mulheres sejam tratados como iguais perante a lei.

O tratamento igualitário entre homens e mulheres, pressupõe que o gênero não pode ser utilizado como argumento discriminatório, com o propósito de desnivelar os direitos constitucionais de homens e mulheres, ao contrário, deve ser utilizado com a finalidade de nivelar as condições: social, política, econômica, cultural e jurídica existentes entre ambos.

Ademais, o objetivo maior é que todos sejam tratados como iguais perante a lei, sem privilégios, nem distinções por motivo de nascimento, sexo, raça, profissão, classe social, situação econômica, crença religiosas ou ideologia política.

QUAIS SÃO AS PERSPECTIVAS DO CMCBr?

Consolidar a importância da mulher no desenvolvimento econômico do país

A perspectiva do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil é consolidar o reconhecimento da importância da promoção igualitária entre homens e mulheres, mostrar que a discriminação histórica contra à mulher causa um impacto negativo no crescimento econômico e social do país.

Eliminar o preconceito e inserir à mulher no mercado de trabalho com equidade social

Além disso, promover a inserção da mulher no mercado de trabalho, erradicando todas as formas de discriminação, preconceito e violência. Assim, a perspectiva da Instituição é que, os governos que se declaram democráticos, devem proporcionar o bem-estar de todos os seus cidadãos, em particular a mulher, promovendo a equidade social e jurídica, a fim de garantir os direitos constitucionais da mulher.

QUAIS SÃO AS ESTRATÉGIAS DO CMCBr?

Ser voluntária(o) é uma experiência transformadora da sociedade e do indivíduo

A estratégia do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil é consolidar a atividade voluntária que é uma experiência transformadora da sociedade e do indivíduo que realiza a ação.

Além do que, o trabalho voluntário intensifica a satisfação e a percepção de valores, o que só faz bem ao indivíduo, aumentando à alegria de compartilhar e conquistar novos amigos, o que faz a diferença na vida do outro que recebe o serviço. É uma experiência de progresso social para todos os que participam do processo: os líderes comunitários e a própria comunidade-alvo favorecida pelas ações sociais.

Quem pratica uma ação voluntária, descobre um pouquinho mais sobre si mesmo, e sobre a natureza humana

Além disso, quando se pratica e realiza uma atividade voluntária, descobre-se um pouquinho mais sobre a natureza humana, e a respeito de si mesmo. Assim, conclui-se que a transformação se dá, a partir da compreensão medida dos valores de solidariedade e de participação

COMO ORGANIZAR A "SOLENIDADE DE POSSE"?

Fazer o planejamento para a organização da cerimônia

O nome já diz tudo, "Solenidade de Posse", é o evento maior da Instituição, algumas providências deverão ser tomadas principalmente o planejamento e organização da cerimônia.

Pré-evento

  • Consultar a Executiva Nacional, qual a melhor data, horário e local para realizar o evento. Ter cautela para que a cerimônia de posse, não fique próxima a outros eventos importantes que a Diretoria Nacional e a Executiva Nacional participarão;
  • Elaborar a programação do evento, se haverá composição de mesa, pronunciamentos, apresentação cultural, homenagens, serviço de alimentação (café, almoço, coquetel ou jantar);
  • Assegurar-se da disponibilidade do local do evento para a data escolhida e verificar de perto as características do espaço (se o local é aberto, de boa acessibilidade, com estacionamento, se há espaço para o serviço de alimentação, quantidade suficiente de cadeiras para convidados, dentre outros aspectos conforme a programação do evento). Consultar a “Análise do local do evento”.
  • Agendar o evento junto a Executiva Nacional do CMCB;
  • Elaborar a arte do convite padrão. Consulte “Convite para eventos”. Preparar banco de dados completo dos convidados - formato planilha - contendo o nome, cargo e endereço. Esse banco de dados será importante para eventos futuros;
  • Tendo a lista e o quantitativo geral de convidados, solicitar a confecção dos convites de modo a evitar excesso ou carência de material;
  • Detalhar serviços necessários ao evento (cerimonial, decoração, alimentação, segurança, recepção, sonorização, projeção, dentre outros) e solicitar orçamentos para contratação. Consulte “check-list”.
  • Caso o evento conte com apresentação cultural, entrar em contato com o artista/grupo e verificar rider técnico (lista de equipamentos para a apresentação) assegurando-se que o local e o momento escolhido são adequados. Consulte detalhes em “Apresentação cultural”. Planejamento e Organização de Eventos do CMCB no Manual;
  • Imprimir etiquetas para os convites;
  • Repassar os detalhes do evento a Executiva Nacional ou aos Conselhos ou as Coordenações filiadas a ser empossada, verificando se há alterações e sugestões;
  • Providenciar a divulgação do evento junto à Comunidade com, no mínimo 30 (trinta) dias de antecedência;
  • Providenciar a elaboração de slides que contenham nome completo da nova diretoria e cargos. Essa nova ordem administrativa poderá ser apresentada ao público durante o pronunciamento da nova diretoria;
  • Entrar em contato com fornecedores escolhidos para o evento e repassar detalhes de chegada/montagem, bem como saída/desmontagem;
  • Visitar novamente o local do evento e conferir a estrutura disponível;
  • Confirmar com a equipe responsável pelo cerimonial a estrutura necessária para o serviço (púlpito, microfones, mesa diretiva, dentre outros).
  • Encaminhar convites do evento, respeitando os prazos necessários;
  • Confirmar presença das autoridades convidadas;
  • Definir, junto à equipe de sonorização, música ambiente para o evento, bem como músicas de impacto para momentos importantes da cerimônia como: assinatura do termo de posse, pronunciamentos ou homenagens no dia do evento;
  • Ir ao local do evento para acompanhar a chegada e a montagem dos serviços contratados;
  • Repassar detalhes do cerimonial com a equipe responsável informando, com antecedência, as últimas alterações na programação;

Pós-evento

  • Compreende a elaboração de Relatório Final que poderá servir como parâmetro para eventos semelhantes e para registro histórico das realizações pelos Conselhos e Coordenações filiadas. O relatório deve constar: a análise da participação do público; resultados de despesas e receitas; resultados obtidos com a divulgação (anexar matérias divulgadas sobre o evento); pontos positivos e negativos e as fotos. Essa etapa abrange ainda:
  • Pagamento de fornecedores;
  • Devolução de materiais emprestados;
  • Enviar agradecimentos aos convidados e autoridades.
QUAL A FINALIDADE DO REGIMENTO INTERNO?

Regulamentar o funcionamento interno dos órgãos da instituição

O Regimento Interno, é um conjunto de normas estabelecidas pelo Estatuto Social, aprovado em Assembleia Geral, com o propósito de regulamentar o funcionamento interno de seus órgãos e o comportamento social das membras ocupantes de cargos na Diretoria da Instituição

EM QUE CIRCUNSTÂNCIAS SERÁ APLICADO O CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA?

Quando for necessário disciplinar o comportamento ético e moral das conselheiras e membras

A Comissão de Ética e Disciplina, têm o dever de responder as consultas que lhe forem formuladas e, também zelar pelo bom nome da instituição, da mesma forma, responder e conciliar questões relacionadas ao comportamento ético e disciplinar envolvendo membras, conselheiras e voluntárias (os).

A Comissão de Ética e Disciplina, poderá instaurar procedimentos disciplinares em desfavor de qualquer conselheira ou membra, estará apta também a instruí-los e julga-los, aplicando quando for o caso, as sansões dos arts. 7º e 8º. do Regimento Interno.

QUAIS SÃO OS RESULTADOS ALCANÇADOS COM A REALIZAÇÃO DOS SEMINÁRIOS?

O desenvolvimento da capacidade e habilidade para liderar e motivar equipes

Os Seminários Avançados de Treinamento de Liderança (SATL) realizado pelo CMCBr, é a oportunidade para que as conselheiras, membras e voluntárias, possam desenvolver a capacidade e habilidade para liderar e motivar equipes, com o objetivo de alcançar os resultados esperados, por intermédio do trabalho voluntário.

O curso é rápido e dinâmico, repleto de temas atuais como: Guia de Funcionamento do CMCBr, Conceitos Fundamentais de Liderança, Voluntariado, Papéis e Características Comportamentais das Pessoas, Ferramentas para aumentar a produtividade e organização, Assuntos sobre Família, Compromisso e Relacionamentos Interpessoais.

E como resultado aprimorar a liderança

Como resultado do SATL, as conselheiras, membras, voluntárias, amigos, parceiros e colaboradores, terão a visão ampliada, ajustando-se mais ao perfil do voluntariado, aprimorando a sua liderança. Além do que, os participantes, poderão tornar-se agentes transformadores do contexto social em que estão inseridos.

QUAIS SÃO OS CARGOS QUE COMPÕE A DIRETORIA DA COORDENAÇÃO GERAL?

Relação de cargos que compõe a Diretoria da Coordenação Geral                                                                                               

Coordenadora Geral;
Coordenadora de honra;
Madrinha Solidária;

1ª Vice-Coordenadora;

2ª Vice-Coordenadora;

3ª Vice-Coordenadora;

1ª Secretária;

2ª Secretária;

1ª Tesoureira

2ª Tesoureira

  • Diretoria de Ação Política;
  • Diretoria de Ação Social;
  • Diretoria de Captação de Recursos;
  • Diretoria de Comunicação e Marketing;
  • Diretoria de Capacitação e Treinamento;
  • Diretoria de Capelania;
  • Diretoria de Design Gráfico e Website;
  • Diretoria de Eventos;
  • Diretoria de Esportes;
  • Diretoria de Educação;
  • Diretoria de Cultura;
  • Diretoria da Infância e Juventude;
  • Diretoria Jurídica;
  • Diretoria de Logística;
  • Diretoria de Mobilização;
  • Diretoria da Melhor Idade;
  • Diretoria de Negócios;
  • Diretoria de Projetos Sociais;
  • Diretoria das Pessoas com Deficiência;
  • Diretoria de Relações Institucionais;
  • Diretoria de Relações Internacionais;
  • Diretoria de Saúde da Mulher;
  • Diretoria de Sustentabilidade;
  • Coordenadora de Bairro;
  • Comissões Temáticas.
QUAIS SÃO OS CARGOS QUE COMPÕE AS DIRETORIAS ESTADUAL, MUNICIPAL E DISTRITAL?

    Relação dos cargos que compõe as Diretorias Estadual, Municipal e Distrital                                             

Presidente;

Presidente de Honra;

Madrinha Solidária;

1ª Vice-Presidente;    

2ª Vice-Presidente;

3ª Vice-Presidente;

4ª Vice-Presidente;

5ª Vice-Presidente;

6ª Vice-Presidente;

1ª Secretária;  

2ª Secretária;  

1ª Tesoureira  

2ª Tesoureira 

Diretoria de Ação Política;

Diretoria de Ação Social;

Diretoria de Captação de Recursos;

Diretoria de Comunicação e Marketing;

Diretoria de Capacitação e Treinamento;

Diretoria de Capelania;

Diretoria de Design Gráfico e Website;

Diretoria de Eventos;

Diretoria de Esportes;

Diretoria de Educação;

Diretoria de Cultura;

    Diretoria da Infância e Juventude;

    Diretoria Jurídica;

    Diretoria de Logística;

Diretoria de Mobilização;

Diretoria da Melhor Idade;

Diretoria de Negócios;

Diretoria de Projetos Sociais;

Diretoria das Pessoas com Deficiência;

Diretoria de Relações Institucionais;

Diretoria de Relações Internacionais;

Diretoria de Saúde da Mulher;

Diretoria de Sustentabilidade;

Coordenadora de Bairro;

Relatorias;

Comissões Temáticas.  

QUAIS SÃO OS CARGOS QUE COMPÕE O CONSELHO FISCAL?

Relação de cargos que compõe o Conselho Fiscal

CONSELHO FISCAL

Conselheira Presidente

1ª Conselheira Titular

2ª Conselheira Titular

QUAIS SÃO OS CARGOS QUE COMPÕE AS DIRETORIAS NACIONAL E EXECUTIVA NACIONAL?

Relação dos cargos que compõe as Diretoria Nacional e Executiva Nacional
DIRETORIA NACIONAL

Comanda as Ações Políticas e as Finanças da Instituição

Presidente Nacional;

Primeira Vice-Presidente;

Segunda Vice-Presidente:

Terceira Vice-Presidência;

Quarta Vice-Presidência;

Quinta Vice-Presidência;

Sexta Vice-Presidência;

Primeira Secretária;

Segunda Secretária;

Primeira Tesoureira;

Segunda Tesoureira.

EXECUTIVA NACIONAL

Comanda as Atividades Administrativas, Operacionais e Sociais da Instituição

Embaixatriz;

Vice-Presidência Regional;

Diretoria Regional;

Governadora Estadual;

Representação de Campo;

Secretaria Geral;

Secretaria Executiva;

Diretoria Financeira;

Diretoria Administrativa;

Diretoria Jurídica;

Diretoria de Ação Política;

Diretoria de Ação Social;

Diretoria de Captação de Recursos;

Diretoria de Comunicação e Marketing;

Diretoria de Capacitação e Treinamento;

Diretoria de Capelania;

Diretoria de Design Gráfico e Website;

Diretoria de Eventos;

Diretoria de Esportes;

Diretoria de Educação e Cultura;

Diretoria da Infância e Juventude;

Diretoria de Logística;

Diretoria de Mobilização;

Diretoria da Melhor Idade;

Diretoria de Negócios;

Diretoria de Projetos Sociais;

Diretoria das Pessoas com Deficiência;

Diretoria de Relações Institucionais;

Diretoria de Saúde da Mulher;

Coordenação Geral;

Coordenação de Bairros;

Assessoria Especial da Presidente Nacional;

Assessoria;

Relatorias;

Comissões Temáticas.

QUAIS SÃO OS CARGOS QUE COMPÕE A ASSEMBLEIA GERAL?

Relação de cargos que compõe a Assembleia Geral
A Assembleia Geral é composta pelas membras e compete aprovar, emendar
e cumprir o estatuto, eleger a Diretoria Nacional e Conselho Fiscal.

ASSEMBLEIA GERAL

Conselheira Presidente

1ª Conselheira Titular

2ª Conselheira Titular

QUEM PODE FAZER PARTE DO CMCBr?

Mulheres e Homens Podem Fazer Parte do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil

  • Mulheres como membras ou voluntárias;
  • Servidoras públicas podem fazer parte da Diretoria, podem também, ser voluntárias, amigas, parceiras e colaboradoras;
  • Homens podem participar como amigos, parceiros e colaboradores, auxiliar no que for preciso, mas não podem fazer parte da Diretoria;
  • Ocupantes de cargos com mandato como: vereadora(or), prefeita(o), deputada(o) estadual, federais ou senadora(or), podem ser amigas, parceiras e colaboradoras, mas não podem fazer parte da Diretoria.
COMO POSSO TORNAR-ME UMA MEMBRA?

Para tornar-se membra do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil basta ser mulher

  • Basta ser Mulher;
  • Ser indicada por uma Membra;
  • Ter a Ficha de Adesão avaliada pela Diretoria;
  • Ter perfil e espírito voluntário;
  • Ser ativa e participativa;
  • Atuar de acordo com as normas do Estatuto;
  • Participar de seminários, cursos e treinamentos;
  • Compreender o funcionamento hierárquico da Instituição;
  • Conhecer as competências de cada Cargo na composição organizacional do CMCB;
  • Ser fiel as bandeiras de luta, e ações sociais em defesa da Mulher;
    Ser Cristã.
COMO TRONAR-ME UM(A) PARCEIRO(A)?

É necessário fazer uma parceria com o CMCBr

  • Para torna-se um(a) parceiro(a), a(o) empresária(o) deverá firmar uma parceria com o Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil, apoiar financeiramente as campanhas da Instituição;
  • A principal campanha da Instituição é denominada, “Eu Faço Parte, Diga Não à Violência Contra a Mulher”;
  • A(O) Empresária(o) que firmar uma parceria para receber o "Selo de Certificação" em sua empresa denominado “Empresa Cidadã ou “Responsabilidade Social”, poderá ser indicada(o) como parceira(o) para participar do programa social denominado “Descontos e Vantagens”. O objetivo desse programa é fidelizar nossas associadas para adquirir produtos ou serviços na empresa certificada.
COMO TORNAR-ME UM(A) COLABORADOR(A)?

Quem desejar pode ajudar financeiramente ou fazendo doações

  • Para torna-se colaborador(a), a(o) empresária(o) ou pessoa física, deverá contribuir e apoiar financeiramente, ou fazer doações, para a realização de ações e projetos sociais desenvolvidos pela Instituição;
  • Ter espírito voluntário e desejar ajudar o próximo;
  • Ser cristã(o).
COMO CRESCER NA INSTITUIÇÃO?

Crescendo na Instituição

Na estrutura organizacional da Instituição, existem vários cargos a serem nomeados. A conselheira ou membra que se destacar pelo trabalho voluntário, ou relevantes serviços prestados a causa da mulher, poderá ser indicada pelos Conselhos e Coordenações filiados, para concorrer aos cargos de conselheiras nas Diretoria Nacional e Executiva Nacional.

COMO SOLICITAR À ABERTURA DE UM CMCBr EM MINHA CIDADE?

É muito fácil

  • Solicite à abertura e instalação de um Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil ou uma Coordenação Geral em sua cidade, enviando um e-mail para cmcdobrasil@gmail.com, ou pelos telefones +55 61 99341-9341 / 99301-3434 ou através do site www.cmcb.com.br ou do facebook.
QUAL O CUSTO/DESPESA PARA ABRIR E INSTALAR UM CMCB EM MINHA CIDADE?

A interessada(o) que desejar abrir um Conselho ou Coordenação em sua cidade, arcará com as despesas

Para abrir e instalar uma Coordenação ou um Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil em sua cidade, será necessário levar em consideração algumas despesas;

  • Se a distância a ser percorrida pelas diretoras da Executiva Nacional for entre 100 km e 500 km, as despesas com o deslocamento, hospedagem e alimentação para duas pessoas, serão por conta e responsabilidade do solicitante interessado;
  • Da mesma forma, quando a distância a ser percorrida pelas diretoras da Executiva Nacional for superior a 500 km, as despesas com passagens aérea, hospedagem e alimentação para duas pessoas, serão por conta e responsabilidade do solicitante interessado.

A interessada(o) também arcará com as despesas da "Solenidade de Posse"

  • A solicitante interessada arcará com as despesas dos preparativos para a “Solenidade de Posse” da Diretoria. Os itens necessários para a realização da cerimônia são: convites, informativos, banners, bandeiras, púlpito, local onde se realizará o evento, buffet, sonorização, projetores, mesas, cadeiras, forros, flores, certificados e pessoal de apoio.
QUAIS SÃO OS VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO?

Veículos de comunicação e divulgação são:

Jornal Mulher do Brasil

Veículo de comunicação impresso e digital, elaborado com o propósito de divulgar eventos, ações sociais, projetos e programas, além de informar aos nossos colaboradores e a sociedade, como é realizado o trabalho da Instituição;

Canal Digital Mulher do Brasil

Veículo de comunicação digital, produzido com o objetivo de transmitir eventos, ações sociais, projetos e programas, além de informar aos nossos colaboradores e a sociedade, como é realizado o trabalho da Instituição;

Rádio Digital Mulher do Brasil

Veículo de comunicação digital, produzido, com a finalidade de transmitir por radiodifusão, eventos, ações, projetos e programas, além de informar aos nossos colaboradores e a sociedade, como é realizado o trabalho da Instituição;

Propaganda e Marketing

Vídeos e Comerciais;

Placas, Outdoors, Folders, Flyers, Banners e Faixas.

QUAIS TROFÉUS E COMENDAS SÃO CONCEDIDAS PELA INSTITUIÇÃO?

A instituição concede troféus e comendas a quem se destacar pelo trabalho voluntário em sua comunidade

Troféu Voluntária(o) do Ano
Receberá o prêmio voluntária(o) do ano, a mulher ou o homem que se destacar pelo trabalho voluntário em sua comunidade, acolhendo e empoderando mulheres através de ações práticas e conclusivas;

Troféu Empresa Cidadã ou Responsabilidade Social

Receberá o prêmio a Empresa que se destacar pelo trabalho social em sua cidade, em parceria com o Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil, participando de campanhas informativas a população como; “Eu Faço Parte, Diga Não à Violência Contra a Mulher”;

Outra forma de participar, é aderir ao programa "Descontos e Vantagens", com a fidelização de nossas associadas para adquirir produtos ou serviços na empresa certificada.

Comenda Cidália Mattos

Serão agraciadas(os) como destaque, as pessoas que prestam, ou que já tenham prestado relevantes serviços a causa da mulher.

QUAIS SÃO AS RECOMPENSAS OFERECIDAS POR NOVAS ADESÕES?

Existe um sistema de recompensa para quem fizer a adesão de novas membras ou voluntárias

Ao ingressar na Instituição, a conselheira ou membra, recebe um “Broche” em forma de “Coroa” que representa a feminilidade, amor, amizade, generosidade e o compromisso com os valores de participação e solidariedade. A coroa simboliza a perfeição, autoridade, liderança, legitimidade e humanidade.

A coroa faz lembrar que existe um Cristo acima de todos, e que conselheiras e membras devem realizar o trabalho voluntário, observando os fundamentos da fé cristã. Assim, podem desenvolver ações sociais com humildade, dedicação e perseverança, sempre com o olhar voltado para os que vivem em situação de exclusão social.

Como posso receber coroas de diamante, rubi, turmalina, esmeralda e ouro (semi jóias)

  • A conselheira ou a membra que realizar a adesão de 10 membras ou 10 voluntárias atuantes, e que participem de pelo menos 02 (duas) ações sociais, receberá uma coroa de Ouro.
  • A conselheira ou a membra que realizar a adesão de 20 membras ou 20 voluntárias atuantes, e que participem de pelo menos 02 (duas) ações sociais, receberá uma coroa de Esmeralda.
  • A conselheira ou a membra que realizar a adesão de 30 membras ou 30 voluntárias atuantes, e que participem de pelo menos 02 (duas) ações sociais, receberá uma coroa de Turmalina Azul.
  • A conselheira ou a membra que realizar a adesão de 40 Membras ou 40 voluntárias atuantes, e que participem de pelo menos 02 (duas) ações sociais, receberá uma coroa de Rubi.
  • A conselheira ou a membra que realizar a adesão de 50 membras ou 50 voluntárias atuantes, e que participem de pelo menos 02 duas) ações sociais, receberá uma coroa de Diamante.
  • A conselheira ou membra que realizar a adesão de mais de 50 membras, ou mais de 50 voluntárias atuantes, e que participem de pelo menos 02 (duas) ações sociais, receberá a condecoração máxima do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil - CMCBr NACIONAL, "Comenda Cidália Mattos".
QUAIS SÃO AS ORIENTAÇÕES DO MANUAL DE PROGRAMAÇÃO VISUAL?

Manual de Programação Visual

Os eventos, ações e atividades sociais, realizadas pelo Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil deverão seguir protocolos de procedimentos padrão, utilizando formulários próprios.

Assim, os filiados deverão consultar o "Manual de Programação Visual", para reproduzirem o material administrativo, financeiro e publicitário. O manual está disponível na site. O direito de uso da denominação e logomarcas, é reservado ao CMCBr NACIONAL. Portanto, o uso dos direitos intelectuais, deverão ser solicitados a Diretoria Nacional ou Executiva Nacional.

  • Logomarca;
  • Slogan;
  • Cartilhas;
  • Informativos;
  • Flyers;
  • Folders;
  • Banners;
  • Faixas;
  • Ofícios;
  • Convites;
  • Cartas;
  • Agradecimentos;
  • Certificados;
  • Cartão de Natal;
  • Cartão de Aniversário;
  • Cartão de Pêsames;
  • Cartão de Nascimento;
  • Mensagens Digital.
O CMCB TEM UMA AGENDA ANUAL?

Agenda Anual de Eventos do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil

O Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil - CMCBr NACIONAL, todo ano pública a sua "Agenda Anual", a fim de informar aos Conselhos Estaduais, Municipais e Coordenações filiadas, sobre os eventos, ações e atividades a serem realizadas durante o ano corrente.

O objetivo é informar e orientar aos seus filiados, como devem ser os procedimentos relacionados as datas dos eventos, ações e atividades, que deverão ser realizadas simultaneamente em todo o território nacional.

Entretanto, se houver a necessidade de alterar alguma data, evento, ação ou atividade por peculiariedade local Solicitar autorização a Executiva Nacional por meio de ofício e com antecedência mínima de 30 (trinta) dias;

  • Realizar eventos, ações e atividades sociais no mês “Internacional da Mulher”;
  • Realizar, ações e atividades em comemoração ao mês "Outubro Rosa";
  • Consolidar à abertura e instalação de Conselhos Estaduais, Municipais e Coordenações;
  • Realizar congressos, seminários, treinamentos, cursos e palestras.
  • Promover o "Encontro Nacional de Conselheiras e Voluntárias";
  • Conceder o prêmio "Voluntária(o) do Ano";
  • Comenda a comenda "Cidália Mattos";
  • Conceder o prêmio "Empresa Cidadã" ou "Responsabilidade Social";
  • Conceder o "Certificado Amigo, Parceiro e Colaborador";
  • Realizar "Atos Público" em favor das causas da mulher, simultâneos em todo o Brasil;
  • Realizar "Ato Público" em comemoração ao dia "Nacional da Família";
  • Realizar "Ato Público" em defesa da vida;
  • Realizar "Ato Público" contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescente.
COMO É O ORGANOGRAMA DA INSTITUIÇÃO?

ORGANOGRAMA DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA E OPERACIONAL

QUANDO SÃO REALIZADAS AS ELEIÇÕES E O TEMPO DE MANDATO?

Eleições e Mandatos

A eleição das membras para a Diretoria Nacional será realizada no mês de dezembro, tendo à Assembleia Geral como finalidade precípua para realizar a eleição da Diretoria Nacional, que nomeará a Executiva Nacional e demais Conselhos e Coordenações filiadas, a fim de que exerçam seus mandatos por 04 (quatro) anos, iniciando-se no dia 1º de janeiro do ano seguinte à eleição

QUANTOS E QUAIS OS PILARES QUE SUSTENTAM A MISSÃO DO CMCB?

São três os pilares que sustentam a missão do CMCBr

  • O primeiro pilar, está ancorado na Fé Cristã, baseado nos ensinamentos de Cristo.
  • O segundo pilar, está alicerçado no Enfrentamento contra qualquer tipo de violência, no acolhimento e a proteção da mulher em situação de exclusão social.
  • O terceiro pilar, está baseado no empoderamento da mulher que perpassa obrigatoriamente, pela qualificação profissional e social, com o propósito de inseri-la no mercado de trabalho, a fim de criar novas oportunidades na economia formal, com o intuito de gerar renda e promover o desenvolvimento econômico do país.
QUANTAS CONSELHEIRAS, MEMBRAS E VOLUNTÁRIAS (OS) O CMCB PODE TER?

O número de conselheiras, membras e voluntárias (os) é ilimitado

O número de membras e voluntárias do Conselho de Mulheres do Brasil - CMCBr NACIONAL e de seus Conselhos e Coordenações filiados, é ilimitado, podendo ter o número de Membras e voluntárias que acharem necessário

QUAL É COMPROMISSO DO CMCBr COM À MULHER?

Conquistar autonomia social e política englobando os direitos constitucionais

O compromisso do Conselho de Mulheres Cristãs do Brasil é conquistar autonomia social e política, a fim de empoderar a mulher por intermédio do conhecimento compartilhado, englobando ainda os direitos constitucionais.

Além disso, promover ações sociais práticas e conclusivas, através do trabalho voluntário, com o objetivo de influenciar a criação de um novo paradigma cultural, demonstrando ser possível gerar novas relações sociais respeitando os direitos da mulher.

Promover a participação igualitária da mulher nos espaços de Poder

Ademais, para efetivar o aperfeiçoamento e consolidação da democracia, será necessário pensar, discutir e debater a situação de sub-representação da mulher nos espaços de Poder e de Decisão.

Nesse sentido, promover a participação da Mulher de forma igualitária e plural, aumentando a presença feminina nos cargos de maior nível hierárquico no parlamento, governos estadual, distrital e municipal. Nas secretarias do primeiro escalão do poder executivo, do poder judiciário, sindicatos e reitorias. Interrompendo a enganosa cultura da fragilidade feminina nas relações de trabalho, aliado ao preconceito e a subalternidade